Segurança Pública

Presídio de Cachoeira do Sul recebe detectores de metais

31/07/2013 10:06
 

Banqueta possui sensores que detectam metais escondidos dentro do corpo(Foto:Jornal O Povo/Divulgação)

Conforme a Agência de Notícias do Ministério Público do RS, o Presídio Estadual de Cachoeira do Sul acaba de ganhar uma nova aliada para barrar a entrada de celulares nas celas: a tecnologia. Nesta terça-feira, 30, os agentes da Susepe receberam dois pórticos e uma banqueta com detectores de metais.

Os equipamentos custaram R$ 11 mil e foram pagos com dinheiro das multas aplicadas em transações penais pela Justiça de Cachoeira. A intermediação do repasse do recurso para a Susepe foi feita pelo Promotor de Justiça Criminal João Ricardo Santos Tavares.

O detector de metais torna mais eficiente o controle da entrada dos visitantes, que agora não precisam mais passar pelo constrangimento de tirar toda a roupa para serem submetidos à revista. “Acredito que agora vamos conseguir bloquear a entrada dos celulares”, destacou o administrador substituto do Presídio de Cachoeira, Rubens Barbosa.

O detector de metais instalado no saguão da cadeia possui sensores capazes de indicar inclusive o simples botão de uma calça jeans, mas a sua sensibilidade pode ser alterada conforme a quantidade de metal e a sua localização no corpo. A partir de agora, todos os visitantes terão de passar pelo equipamento antes de chegar ao pátio para visitar os presos. Em média, a cada dia de visitas cerca de 100 pessoas entram na cadeia cachoeirense.

NOVA GALERIA
João Ricardo Santos Tavares ressalta que manteve contato com o Secretário Estadual da Segurança, Airton Michels, solicitando audiência para cobrar a construção da nova galeria para o Presídio Estadual de Cachoeira do Sul.

O encontro deve ser agendado nos próximos dias, quando o Promotor de Justiça entregará relatório sobre todos os investimentos feitos nos últimos anos na cadeia com dinheiro de multas judiciais.

Com capacidade para 65 detentos em regime fechado, ao longo dos anos novas camas foram sendo improvisadas nas celas. Atualmente, existem leitos para 90 presos. No entanto, a galeria abriga 142 presos.

Farrapo




Topo