Economia

Participação da indústria brasileira na produção mundial caiu em 2019, diz CNI

04/09/2020 10:13
 

A participação do Brasil na produção industrial mundial teve nova redução em 2019, deixando a marca de 1,24% registrada em 2018 e diminuindo para 1,19%. Trata-se de mais uma queda, processo que ocorre desde 2009, e que agora leva o Brasil a ocupar o piso da série histórica iniciada em 1990. Os dados são do Desempenho da Indústria no Mundo, estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Com a nova retração, a indústria nacional mantém perda de relevância no cenário global e passa a ocupar a 16ª posição. Entre 2015 e 2019, ela foi superada pelas indústrias do México, da Indonésia, da Rússia, de Taiwan, da Turquia e da Espanha. Antes disso, em 2014, o Brasil figurava entre os 10 maiores produtores no ranking mundial. 

O desempenho das exportações da indústria de transformação brasileira também retrata a perda de competitividade. De acordo com estimativa da CNI, a participação nacional nas exportações, que já havia recuado de 0,91% para 0,88%, de 2017 para 2018, mantém o viés negativo e deve ficar em 0,82%, em 2019, igualando o menor patamar da série histórica, registrado em 1999. O Brasil ocupava a 30ª colocação no ranking global no último dado disponível, de 2018.

“O cenário torna ainda mais urgente a aprovação de reformas e legislações que destravem a economia brasileira e aumentem a competitividade da indústria nacional”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade. Ele cita como exemplo a reforma tributária.

A perda de participação da indústria brasileira na produção industrial mundial tem sido observada desde meados da década de 1990. Os dados evidenciam que a crise econômica brasileira de 2014-2016 intensificou esse movimento. Nesse período, o PIB da indústria acumulou queda de 10,1%, enquanto a agropecuária recuou 2,1% e os serviços recuaram 4,9%. Diferentemente do Brasil, a produção industrial mundial manteve-se em crescimento, após queda em 2009, ano da crise financeira global.

Indústria chinesa

A China possui o melhor desempenho entre os principais parceiros comerciais do Brasil. Em 2019, a participação da China no valor adicionado da indústria de transformação mundial cresceu de 28,85%, em 2018, para 29,67%, aumento de 0,82 ponto percentual, o único resultado positivo entre os países avaliados.

 

 

Correio do Povo

Foto: Arquivo / Agência Brasil 



Topo