Educação

Famurs reafirma posição contrária ao calendário escolar proposto pelo governo do RS

20/08/2020 10:38
 

Para dar continuidade ao debate de retorno das aulas presenciais, a Famurs e os presidentes das associações regionais estiveram reunidos com o governo do Estado, Ministério Público (MP) e Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS), por videoconferência na manhã desta quarta-feira (19/8). O encontro teve como objetivo apresentar a posição da entidade sobre a proposta de calendário sugerida pelo Estado e ouvir a posição dos órgãos de fiscalização a respeito do tema.

Na ocasião, foi manifestada a posição contrária da Famurs, deliberada em Assembleia Geral na última terça-feira (18/8). “A posição da entidade, neste momento, é de inviabilidade. Nós temos uma preocupação com o risco que alunos e professores irão correr, não há notícias de diminuição de casos para as próximas semanas e há inúmeras questões práticas que preocupam os gestores, como transporte escolar e contratações”, justificou o presidente da Famurs e prefeito de Taquari, Maneco Hassen.

Uma das proposições da Federação é de que, neste momento, o Estado não transfira a responsabilidade aos gestores municipais sobre a decisão, de forma individual, de reabertura das instituições de ensino. Caso a decisão fique a cargo do Executivo estadual, os municípios poderão ou não adotar medidas mais restritivas sobre o retorno das aulas.

A Famurs também propôs que o diálogo seja retomado quando os números de casos de covid-19 diminuam de forma consistente. De acordo com a secretária de Saúde, Arita Bergmann, não há uma previsão para queda dos casos. “Não há uma resposta objetiva, uma data ou dia em que teremos segurança cem por cento, de que terminou a epidemia. Temos muitas dúvidas ainda, mas estamos monitorando”, declarou.

Com relação a pressão das escolas privadas de Educação Infantil, a sugestão da Famurs é de que o Banrisul disponibilize uma linha de crédito para financiamento com juros subsidiados até o fim do ano.

As propostas apresentadas pela Famurs serão discutidas nesta quinta-feira (20/8) em reunião com a equipe do governo e com as secretarias de Articulação e Apoio aos Municípios, de Educação, de Saúde e de Justiça e Cidadania. O debate com a Famurs será retomado na próxima terça-feira (25/8).

O secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles, esclareceu que a ideia do calendário é de que o Estado irá promover a possibilidade de volta às aulas; o gestor municipal irá decidir em que momento habilita a volta às aulas – e, neste caso, as instituições privadas escolheriam em que momento fazê-lo –; e por fim, os pais irão optar em enviar ou não os filhos às escolas.

 

 

Fonte e Foto: Ascom/Famurs



Topo