Estado

Governo não levará em conta o número de pacientes de fora da região no cálculo das bandeiras

30/07/2020 23:29
 

Durante a live desta quinta-feira, o governador Eduardo Leite anunciou uma mudança no protocolo que calcula as bandeiras do modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul. Diferente do que vinha acontecendo, o número de pacientes de fora da região Covid não será contabilizado, ou seja, não terá impacto no resultado final da bandeira. 

Leite justificou a mudança alegando que as maiores ou menores restrições de cada bandeira têm como objetivo frear a circulação do coronavírus em cada região, e se um paciente vem de fora não quer dizer que a contaminação aumentou naquela localidade. Ele também ressaltou que muitas vezes o fluxo de troca de pacientes nem sempre se deve a falta de leitos, mas também a especificidade do atendimento. 

- A intenção do modelo de distanciamento controlado não é punir regiões, é estabelecer o distanciamento necessário para evitar que o vírus circule. Se o indicador está se elevando porque está recebendo pacientes de fora, não é por conta da circulação do vírus na região que está acontecendo o nível de risco maior, é porque está recebendo pacientes de outras regiões e isso será considerado - explicou o governador. 

A alteração já passa a valer nesta sexta-feira, quando o governo anuncia o mapa preliminar das bandeiras. Nesta semana a região de Cachoeira do Sul e Santa Maria permanceram na bandeira laranja. Oito das 20 regiões estão na bandeira vermelha.

21º REGIÃO
Desde o início da estratégia do governo gaúcho, o Estado passou a ser dividido em 20 regiões Covid. Outra mudança anunciada hoje é a da possível criação de uma 21º região, que contemplaria os municípios das regiões da Costa Doce e Carbonífera, hoje vinculadas à Porto Alegre. 

A ideia é que essas cidades passassem a integrar a nova região, chamada Guaíba, porque os municípios são similares - pequenos e com organizações próprias de saúde. A ideia será discutida nos próximos dias com os prefeitos e pode passar a valer a partir da próxima semana, 7 de agosto. 

Fonte: Diário de Santa Maria