Opinião

A vida voltará ao normal, por Cristiano Porto Alves

28/03/2020 11:36
 

Foto: Ilustração

Passamos por um momento histórico, comparável, talvez, à gripe espanhola de 1918 (que infectou um quarto da população global) e às duas grandes guerras mundiais. Dos três eventos, mesmo o mais recente, a imensa maioria de nós só conhece através dos livros e dos ensinamentos de nossos antepassados. Ou, se era nascido, era criança, e hoje já se aproxima de completar um século.

Situação angustiante essa de não poder sair de casa. Nas grandes cidades, as pessoas saem de seus lares com o eterno medo de serem assaltadas, de serem baleadas, de serem mortas por bandidos. Agora, não saímos em razão de um vírus. E ele não escolhe classe social, raça, cor, sexo, orientação sexual, religião, cidade pequena ou grande, país do continente xis ou do ípsilon. Seu objetivo é a humanidade como um todo.

Os números são assustadores. É um inimigo invisível, mas poderoso. De atuação devastadora. Parece querer acabar com a humanidade, ou pelo menos com o maior número possível de seus representantes.

Ele vai destruir a economia. Não apenas de nosso município, região ou país. Dessa vez nós vamos falar de depressão mundial. Muitos vão quebrar. Algo provavelmente similar à quebra da Bolsa de Nova Iorque, de 1929. Milhões vão perder o emprego e custará um tempo para recuperá-lo. O PIB de inúmeros países sofrerá quedas drásticas.

Mesmo com ajuda dos governos, as pessoas empobrecerão. Todos iremos sofrer. Aumentos dos preços, principalmente dos alimentos. Poder de compra cada vez mais recuado. A cautela e o receio vão ditar o nosso comportamento econômico. O mundo nunca mais será o mesmo.

Mas existem esperanças. Tudo passa. E com o coronavírus não será diferente. A vida voltará ao normal, mais cedo ou mais tarde. Como voltou depois das guerras. Nós é que não seremos os mesmos. Pois, querendo ou não, aprenderemos. Saberemos que é necessário união. E a principal lição será a de que diferenças de ideias, valores ou culturas não significam nada perto de uma ameaça global a toda a humanidade.

Cristiano Porto Alves
Graduado em Letras Português-Espanhol pela FURG
Professor da Escola Gladi Machado Garcia (em Minas do Camaquã)

Farrapo




Topo