Turismo

Painéis com informações turísticas são vandalizados

Por Eduardo Schneider
06/02/2020 15:02
 

Um dos painéis danificados na região das Guaritas em Caçapava do Sul (Foto: Divulgação)

Painel na Casa de Pedra em Bagé (Foto: Divulgação)
Um material disponibilizado nos pontos turísticos da região foi alvo de vandalismo. Painéis colocados na região das Guaritas e Forte Dom Pedro II, em Caçapava do Sul, além da Casa de Pedra e Rincão do Inferno, em Bagé, foram danificados.

Os painéis fazem parte do projeto “Geoturismo e interpretação do patrimônio natural da campanha gaúcha como um novo aporte ao desenvolvimento regional sustentável”.  O projeto consistiu em diversas ações, sendo que uma das principais é a instalação de uma série de painéis interpretativos em locais de interesse turístico.  E Desta forma, visa destacar os aspectos do meio natural na paisagem que possam interessar ao público em geral, no sentido de ampliar o potencial de atração de visitantes.

Em Caçapava do Sul, os painéis também podem ser encontrados na Pedra do Segredo, Minas do Camaquã, Pórtico de acesso e praças do município. De acordo com pesquisadores, os painéis são equipamentos de apoio ao turismo, que, portanto, são muito benéficos a sociedade Caçapavana e da Campanha Gaúcha:

“Foram financiados com recursos públicos, cuja demanda foi eleita pela própria sociedade da Campanha. Investimentos em turismo tem grande potencial de gerar desenvolvimento, trabalho e renda”, salientaram.


Saiba mais sobre o projeto

Em 2015 o território que compreende o Conselho Regional de Desenvolvimento da Campanha Gaúcha (COREDE Campanha) do qual fazem parte sete municípios: Caçapava do Sul, Lavras do Sul, Bagé, Dom Pedrito, Aceguá, Candiota e Hulha Negra elegeu o Geoturismo como uma das demandas da Consulta Popular.

Com isso, pesquisadores da Unipampa de Caçapava e colaboradores da UFSM e UFPel, obtiveram financiamento para o projeto através do Edital  Procoredes XIII, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul – Fapergs. O objetivo do projeto era a interpretação do patrimônio natural do território de abrangência do Corede Campanha e sua relação com o Geoturismo, como aporte ao desenvolvimento regional.

Em 2017, os recursos de custeio foram disponibilizados e a execução do projeto iniciou. As atividades do projeto foram finalizadas em 2019.


Fotos: Abaixo, alguns painéis vandalizados e outros que ainda estão em bom estado de conservação.


Por Eduardo Schneider

Farrapo






Topo