Brasil

Estudo diz que desmatamento na Amazônia seria o dobro do registrado pelo INPE

20/08/2019 15:15
 

Foto: Mayke Toscano/Fotos Públicas

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Oklahoma publicou um estudo sobre a Amazônia na revista científica Nature Sustainability. Os dados apontam que a área verde diminuiu cerca de 400 mil km² no período entre 2000 e 2017. O tamanho corresponde ao tamanho da Alemanha. 

De acordo com a reportagem da BBC Brasil, o resultado apontado é mais que o dobro da área de 180 mil km² registrada no mesmo período pelo sistema de monitoramento de desmatamento anual adotado pelo Inpe, o Programa de Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes).

O conceito de floresta desmatada e a qualidade das imagens analisadas pelo satélite utilizado na nova pesquisa, com menos interferência de nuvens e sombras, são apontados como fatores para a discrepância nos resultados.

O mesmo estudo diz ainda que o tamanho de toda floresta na Amazônia é subdimensionado em 15%. Dados sobre desmatamento servem de base para a elaboração de políticas públicas e acordos internacionais do governo brasileiro.

O artigo revela ainda que as unidades de conservação da Amazônia perderam 20 mil km² de floresta entre 2000 e 2017. Daria para colocar quase quatro Brasílias nesse espaço.

Mas a pesquisa aponta um avanço no reflorestamento entre 2001 e 2013. Considerando reflorestamento como áreas verdes regeneradas e que assim permaneceram por pelo menos quatro anos, a Amazônia teve um ganho de 21% de floresta do que foi desmatado no mesmo período.


Aumento de queimadas muda cor do dia de São Paulo

Um céu amarelado e repleto de nuvens no Estado de São Paulo marcou a tarde de segunda-feira, 19. Por volta das 15h, o céu se mostrava tão escuro que já parecia noite, segundo relatos de moradores.

De acordo com a reportagem da BBC Brasil, a fumaça proveniente de queimadas, intensificadas no país entre julho e setembro, foi a principal causa do fenômeno. As partículas geradas por estes incêndios explicam a cor amarelada, de tons de cinza e ocre, vista em São Paulo - não só na Grande São Paulo, como em pontos do litoral e dos Vales do Ribeira e Paraíba. Ainda conforme a reportagem, a escuridão está associada também à própria frente fria que fechou o tempo para os paulistas.

Para se ter uma ideia, segundo dados de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Rondônia é o quinto no país que mais teve focos de incêndio este ano: 5.533. Nos primeiros lugares, estão Mato Grosso (13.682); Pará (9.487); Amazonas (7.003); e Tocantins (5.751).

Fonte: BBC Brasil

Farrapo




Topo