Caçapava do Sul

Vereadores participam de reunião com o Diretor de Defesa Agropecuária do RS

16/04/2019 23:15
 

Na tarde desta terça-feira, dia 16, os vereadores Mariano Teixeira e Silvio Tondo, participaram de um encontro na Câmara de Vereadores, com o Diretor Estadual do Departamento de Defesa Agropecuária, Antônio de Quadros Neto ( Cacaio). A pauta da reunião foi o andamento das obras de reforma do prédio da Inspetoria Veterinária de Caçapava, o exame do mormo, procedimentos para a emissão da GTA e vacinação da febre aftosa.

Sobre a reforma do prédio da Inspetoria, que fica localizado na rua 7 de setembro, o Diretor esteve no local vistoriando as obras junto com os vereadores, cujo o recurso foi liberado ainda na gestão do ex-Secretário de Agricultura, Ernani Polo e executado agora sob o comando do Secretário Covatti Filho.
A Inspetoria teve que alugar um novo espaço para seguir o seu funcionamento normal, enquanto o Estado liberava o projeto e os recursos para a reforma da antiga sede da Inspetoria. Com isso, a licitação foi feita em 2018 e a execução começou em 2019.

O planejamento da Secretaria de Agricultura é ainda este ano concluir as obras e fazer a mudança da Inspetoria Veterinária para o prédio próprio e reformado. O recurso para a obra são do Fundo de Apoio ao Produtor Rural.

Na sequencia, o vereador Mariano questionou sobre a iniciativa da Secretaria em excluir a obrigatoriedade do exame do mormo a partir de 2020. Sobre este caso, o Diretor disse que a pedido do Secretário Covatti, no mês de maio será feito um desenho amostral para a realização do exame em mais de 5 mil cavalos, com isso, em agosto fazer a coleta e aguardar os resultados. Se todos os exames derem negativo, em janeiro de 2020 o Estado ficará livre do Mormo e o exame não será mais obrigatório no RS.

Outro questionamento de Teixeira foi sobre a regulamentação da GTA, conforme a Instrução normativa nº 10 da Secretaria, onde não é mais necessário a retirada da GTA nas Inspetorias Veterinárias para o transporte de animais dentro do próprio município, desde que os exames estejam em dia. A exigência da Guia de Trânsito Animal será cobrada apenas em deslocamento para o outro Município." Se você tiver um cavalo em uma hotelaria e for trazer para o rodeio na sede campestre por exemplo é necessário os exames, mas não a GTA, conforme explicou o Diretor", disse Mariano.

No final, o Diretor informou que a vacinação contra febre aftosa também terá alteração, onde o produtor rural não precisará mais utilizar a dosagem de 5 ml em cada animal, e sim 2 ml. Essa normativa já vale para a próxima campanha que será em maio de 2019.

Segundo Cacaio, o produtor não poderá mais utilizar vacinas de 5 ml, assim como o estabelecimento estará proibido  de comercializar esta dosagem. A intenção de diminuir a dosagem é obter no futuro a certificação de Zona Livre de Aftosa sem vacinação, atualmente o Brasil possui a certificação mediante vacinação. A alteração na dosagem vale para todo o País, menos para o Estado de Rondônia.