Opinião

Educação ambiental também faz parte da educação

14/02/2019 15:57
 

Foto: Reprodução

Você já deve ter visto ou escutado a seguinte frase: “Quem educa são os pais e quem ensina é a escola”, correto? Pois bem, eu diria que sim. A educação como um todo deve vir de “berço”, é papel fundamental dos pais darem educação ética e moral aos seus filhos. Entretanto, educar não fica restrito apenas a ensinar a ser gentil e educado com o próximo, aliás, o significado de educar vai muito além disso. Digo isso porque nesta semana, em apenas cinco dias, presenciei três fatos sobre a falta de educação, os quais faço questão de compartilhar com vocês.

O primeiro caso é o de uma criança acompanhada de sua mãe. Ambas caminhavam pela calçada, quando a criança deixou cair uma embalagem de chocolate pequena, porém era de plástico e todos (ou quase todos) sabem o quão prejudicial é ao meio ambiente. Mas, além do fato de a criança ter jogado o “lixo” no chão, o que mais me causou indignação foi a reação da mãe que proferiu à criança a seguinte frase: “vamos, deixa esse papel no chão”.

O segundo caso envolve uma criança acompanhada de seus pais que chegaram a um estabelecimento comercial em que eu estava na parte externa. A criança com uma embalagem de picolé adentrou no local e, ao perceber que estava apenas com a embalagem vazia em mãos, deu meia volta e, propositalmente, jogou-a na rua. Tudo isso aos olhos dos pais que viram e agiram como se tal ação fosse adequada, restando à atendente que estava na porta abaixar-se e pegar o lixo descartado indevidamente pela criança. 

O mais lamentável é que os casos envolvem crianças na faixa etária de três anos, acompanhadas por seus pais que, de certa forma, concordaram com a ação de seus filhos.

Hoje foi uma embalagem de chocolate e uma de picolé, amanhã será uma sacola, depois, um pneu e outros tantos resíduos descartados indevidamente, os quais, muito provavelmente,  em um futuro próximo, acarretarão problemas conhecidos, tais como alagamentos e perdas, problemas esses que quando acontecem têm, não raro, a responsabilidade atribuída à prefeitura que “não consertou os bueiros”.

Caros senhores, tudo isso é educação ambiental. Eduque seus filhos, ensine-os a guardarem seus lixos até encontrar uma lixeira. Dê o exemplo e seja o exemplo para eles, pois assim será possível evitar que aconteça o que vou relatar no terceiro caso que presenciei.

Este terceiro caso refere-se a um adulto,  julga-se maior de idade por estar dirigindo um carro. De repente, simplesmente ele abriu a janela e descartou uma embalagem plástica no meio da rua. Restou-me, então, questionar a conduta desse cidadão. Será que é oriunda de uma educação, ou melhor, da falta de educação como a das crianças que presenciei?! Quantas outras crianças e adultos jogam diariamente seus lixos na rua e a gente não vê? Ou quando vimos, nada fazemos, assim como os pais das crianças das situações mencionadas acima.

Estamos em um século em que já sentimos os efeitos das mudanças no meio ambiente e as alterações climáticas, o que se deve, em boa parte,  em razão de ações antrópicas, ou seja, ações realizadas por nós humanos. Talvez apenas uma pessoa que jogue um papel no chão não contribua para tais impactos, agora já imaginou se todos as outras 7 bilhões de pessoas pensassem da mesma forma? Portanto, educação ambiental é um dever de todos. É dever dos pais ensinar aos filhos e uma obrigação de nós, adultos, praticá-la.

Norton Bitencourt

Ambientary Engenharia e Meio Ambiente

Farrapo