Opinião - Artigo

Anderson Albarnaz: O lixo da NR-35

16/08/2018 11:57
2018-08-16 11:57:17
 

Anderson Albarnaz Cardoso Empresário

Especialista em estruturação e qualidade de atendimento a clientes.

Facebook

Parte do meu trabalho era uma atividade rotineira em 2005: instalar internet.
Naquela época a quantidade de residências com acesso a internet estava aumentando muito.
Em uma oferta promocional do provedor onde eu trabalhava haviam sido vendidas bem mais assinaturas do que o normal, onde eu e meu colega Bena, comprometidos a cumprir os prazos prometidos aos clientes, pedimos para fazermos as instalações durante horas extras para dar conta do recado e lógico, fazer um dinheirinho a mais.

A demanda alta nos fez correr e gostávamos disto.
- Vamos fazer nosso recorde de instalações em um só dia.
Dizíamos um ao outro.

Era um dia quente e abafado. Rastejar pelo forro do casarão para passar o cabo fazia a poeira grudar na pele com o suor.
Chaminés costumam ser estruturas bem rígidas e neste caso optamos por usá-la para instalar a antena da internet via rádio.
Tivemos que abrir o telhado para ter acesso a área externa e ao sair, percebi que estava muito próximo da beirada da casa, com risco de queda de aproximadamente 12 metros.

- Ooops! Não posso trabalhar aqui desta forma.

Fui buscar o cinto para segurança que ao som do seu click já me fez sentir mais seguro.
Uma olhada daqui e dali para ver o melhor local para fixar a antena até que fiz meu primeiro movimento e percebi que ponto que eu havia me fixado estava solto.
Naquele instante ouvi um forte barulho e vi um rápido clarão.

Ufa! Foi somente reflexo da minha mente tomando um dos maiores sustos da vida e me pondo a pensar no que estava prestes a acontecer.
Fiquei sentado por algum tempo, até que Bena percebeu que algo tinha acontecido e me perguntou o que houve.

- Cara! Eu ia cair.

A queda provavelmente teria sido fatal.

Tínhamos um cinto, mas não tínhamos treinamento, nem mesmo sabíamos se existia.
Pouco tempo depois estávamos todos com equipamentos mais adequados e treinados a utilizar.
Quase todos os provedores de internet começaram assim e depois de um tempo veio a profissionalização que hoje é conhecida.

Quem trabalha com instalação de acesso a internet, ao seu modo, torna as pessoas e os negócios mais próximos, deixando o mundo mais eficaz.
Cada pessoa deste meio enfrenta um inimigo diferente em cada local em que vai instalar internet: risco de choque em instalações elétricas já existentes e malfeitas, risco de quedas, postes bagunçados...

Sempre há discussão e resistência quando um nicho descobre sobre novas leis, regras e normas se aplicam a ele.
Tenho amigos neste ramo pelo país inteiro e sou feliz em perceber que a profissionalização deste nicho faz com que o dia a dia deles seja mais tranquilo por trabalharem em segurança.

Normas como a NR-35 não são um lixo, são o que fazem com que tenham vida longa estes GUERREIROS DA COMUNICAÇÃO.


Fonte: Anderson Albarnaz Cardoso

Farrapo