CLIQUE AQUI PARA EXPANDIR
  Tradicionalismo

Talentos da Gaita Ponto estão sendo revelados na Fábrica de Gaiteiros

18/07/2013 20:39
 

Ana Julia e Samuel são uns dos alunos do professor Eduardo Garcia da Fábrica de Gaiteiros(Fotos: Sandra Lorenz/DIvulgação)

São pouco mais de 40 minutos de aula, pode parecer pouco tempo, mas para os alunos que participam das aulas da Fábrica de Gaiteiros em São Gabriel é tempo suficiente para o aprendizado das técnicas de gaita ponto.

A vontade de aprender somada a individualização no atendimento, está lapidando aos poucos, os futuros gaiteiros e gaiteiras da cidade. O curso tem duração de 11 meses e envolve 21 meninos e 19 meninas. O professor Eduardo Garcia da Silva disse ter sido surpreendido pela boa desenvoltura dos alunos já nos primeiros dias de aula.

“Eles são muito aplicados, obstinados e estão aprendendo muito rápido”, constatou Eduardo, que destaca também, as habilidades das meninas. “A maioria das meninas nunca teve contato anterior com o teclado de gaita, mas apresenta um desenvolvimento admirável. Tenho certeza que ao final desses 11 meses, São Gabriel vai lucrar com a revelação de ótimos talentos”. 

O Projeto Fábrica de Gaiteiros foi instituído graças à parceria entre o Governo do Município a Fundação Instituto Renato Borghetti de Cultura e Música e ao apoio da Celulose Riograndense.

No dia 27 de junho o acordeonista Renato Borghetti esteve no município e juntamente com o prefeito Roque Montagner deu início ao projeto, que beneficia com aprendizado de gaita 40 alunos da Rede Municipal de Ensino. 

Todos os alunos estão conscientes de que faltar à aula, por três vezes consecutivas, acarretará a perda da vaga.  Para a estudante da Escola Municipal Ginásio São Gabriel, Ana Júlia Iracet, de 11 anos, o aprendizado de gaita, não é apenas um passa tempo. Ana não perde as aulas e tem planos para o futuro, “gosto muito de música gaúcha, do som da gaita, e estou aprendendo bastante nas aulas. Eu quero ser gaiteira”, afirmou a menina.

O pequeno Samuel Guedes da Costa, de 12 anos, além de se esforçar para aprender as técnicas, quer ter uma gaita em casa. O professor Eduardo Garcia fala com orgulho do interesse dos aprendizes, “eles são muito interessados. É possível dizer com toda a certeza, que o que faltava para essas crianças era justamente este incentivo, o instrumento e a oportunidade de aprender”.

A oportunidade de aprender, a qual Ana Julia e Samuel estão “agarrados” é esperada por mais sete crianças que formam a fila de espera do Projeto Fábrica de Gaiteiros em São Gabriel. Para o prefeito Roque Montagner, o desenvolvimento do projeto corresponde ao investimento cultural, pelo qual esperavam os gabrielenses.

“É gratificante ver o esforço dos alunos e saber que estamos correspondendo aos anseios da comunidade. Um povo que cultiva sua cultura é um povo sábio e próspero”, finalizou o prefeito.


Por Sandra Lorenz


Fonte: Prefeitura de São Gabriel

Farrapo