Cultura

Intérprete lavrense vence a Coxilha Nativista

30/07/2012 13:34
 

Gustavo Teixeira, é o 2º agachado da direita para esquerda (Foto:Márcio Silva Bohrer/Na Hora/Divulgação)

 

Neste sábado, 28 de julho, aconteceu a grande final de um dos mais importantes festivais de música do Rio Grande do Sul, a 32ª Coxilha Nativista. A informação é da Agência de Notícias Experimental da UFSM, campus Frederico Westphalen.

Por volta de 20h30min o evento teve início. O encarregado de fazer o show de abertura para um grande público que já se fazia presente no ginásio municipal de Cruz Alta foi o Grupo de Danças Pasion Gaúcha. Um grupo que vem buscando seu espaço desde 1998 nos palcos de todo o Estado do RS, Brasil e exterior. Tem como objetivo resgatar nossas tradições através da dança. 

Após o espetáculo, iniciaram-se as apresentações das composições finalistas.  Sendo 10 da Fase Geral e quatro da Fase Local.

Como já era esperado, emoção não faltou. Os concorrentes mostraram à que vieram. Alguns nomes e músicas conhecidas, outros nem tanto, mas que se igualaram no quesito talento.

O show de encerramento ficou por conta do mestre Luiz Marenco. Dotado de um talento e carisma sem igual, encantou o público. As 3.000 pessoas presentes formaram um verdadeiro coral quando Marenco cantou “Batendo água”, sua música mais famosa.

Depois, foi hora de anunciar os vencedores do festival, sendo eles:

Fase Geral
1º Lugar: Diálogo de Luz e Sombra, com interpretação de Juliano Moreno e Gustavo Teixeira (Lavras do Sul).

2º Lugar: Estrela de Papel, interpretada por Pirisca Grecco

3º Lugar: Golpeador, interpretação de Marcelo Oliveira

Música Mais Popular: Gaiteiro da Praça

Melhor Tema  Alusivo a Cruz Alta: Um Chasque Fraterno

Melhor Interprete: Joca Martins com a música Rosal

Melhor Instrumentista: Clarissa Ferreira com a música Diálogo de Luz e Sombra

Melhor Letra: Cavalo de Tiro, letra de Zeca Alves e Gujo Teixeira (Lavras do Sul).

Melhor Arranjo: Diálogo de Luz e Sombra

Melhor Melodia: Juliano Gomes, Golpeador

Melhor Conjunto Vocal: Diálogo de Luz e Sombra

Melhor Indumentária: Marcelo Oliveira com a música Golpeador

Fase Local

1º Lugar: Por Meu Querer

2º Lugar: Retrado de Um Fim de Tarde

3º Lugar: Meu Sonho Pajador

E assim chega ao fim mais uma edição da Coxilha Nativista de Cruz Alta. Um festival de extrema importância para a música do Rio Grande do Sul. E que venha a 33ª edição!


Por Carolina Marostega/Da Hora

 


Fonte: Da Hora

Farrapo